ENTENDIMENTO É QUE ‘MARIA FUMAÇA’ RETORNE A MACHADO
2 de novembro de 2018
MÁQUINA SERÁ LEVADA PARA ‘SP’, PARA RESTAURAÇÃO
2 de novembro de 2018

LOCOMOTIVA DE POUSO ALEGRE FAZ PARTE DA HISTÓRIA DE MACHADO

A Diretoria de Infraestrutura Ferroviária/DNIT-Brasília (DF) autorizou a retirada, ontem, quinta-feira, dia 1º de novembro, da locomotiva a vapor ‘Baldwin 205’, abandonada às margens do Rio Mandu, no município de Pouso Alegre. – Longo processo judicial se arrastou, até a decisão final. O bem ferroviário estava abandonado.

Desde 2016, o IMAC (Instituto Machadense de Artes e Ciências) e a FOLHA MACHADENSE pleiteiam o retorno da máquina a vapor para Machado. A Maria Fumaça circulou na Estrada de Ferro Machadense entre 1925 em 1963, quando os trechos ferroviários foram extintos, no sul de Minas, em vista da construção da represa de Furnas.

De 1981 a 1985, a Maria Fumaça retornou a Machado, por autorização do Ministério dos Transportes, para integrar o Museu Histórico Municipal. A máquina a vapor ficava às margens do Lago Artificial, que ainda estava em formação. A ‘Baldwin 205’ cumpria percurso de demonstração de 100 metros às margens do Lago; isso permitia o funcionamento da máquina.

Em abril de 2016, o IMAC e a FOLHA iniciaram constituição do Museu do Café/Acervo Ferroviário Machadense. – A máquina a vapor será sua principal peça.

Fotos: Ladislau Rodrigues/Jornal A Tribuna

Olá, em breve o atenderemos. Obrigado.

Fale conosco pelo Whats